Finanças pessoais do jeito certo: domine o seu dinheiro

Atualizado: 11 de dez. de 2019


           De acordo com o conceito definido pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o termo Educação Financeira significa "um processo em que o indivíduo faz escolhas conscientes e se mantém bem informado a respeito da economia para, assim, elaborar a melhor forma de lidar com seu dinheiro", podendo ser interpretada como "arte de dominar o dinheiro". Muito embora nós brasileiros não tenhamos sido ensinados em casa ou na escola sobre como lidar com nossos recursos até hoje, nota-se uma preocupação crescente com o tema, seja em virtude da situação econômica que o país se encontra, seja pela necessidade de mudar a forma de pensar da sociedade brasileira com relação a gestão da sua vida financeira a fim de acompanhar as amplas mudanças que estamos vivendo, sobretudo no que diz respeito às relações de trabalho. A notoriedade do tema pode ser evidenciada pela publicação da revista Exame de matéria acerca da obrigatoriedade curricular do ensino da matéria nas escolas já a partir de 2020.

        Sem dúvidas a educação financeira representa o melhor caminho para a sólida construção patrimonial, capaz de proporcionar a liberdade de escolhas e muita tranquilidade para nós e nossa família. Assim como a reeducação alimentar é um trabalho árduo diário de disciplina e autocontrole a fim de garantir a saúde e o bem-estar físico, gerando incontáveis benefícios para a qualidade de vida, a (re)educação financeira também o é, exigindo, além do esforço de produzir dinheiro (necessário a todos nós), é preciso também força de vontade para mudar os hábitos e a mentalidade consumista e hedonista, em busca de mais eficiência na relação com o dinheiro (para que não sejamos meros pagadores de boletos), bem como o consumo responsável e consciência sobre nossas atitudes (para que não sejamos imediatista e possamos evitar o desperdício), envolvendo cortes de gastos, captação de novas fontes de renda, investimento, multiplicação de ganhos e acumulação, com a finalidade de realizar os objetivos desejados.

           Será por meio dessas ações que nós conseguiremos formar um patrimônio ou nos organizar para sanar problemas e alcançar nossos propósitos financeiros, de maneira consistente, crescente e salutar. É importante mencionar que não se trata de fazer sacrifícios, mas sim de mudar a chave do pensamento para escolhas mais responsáveis e conscientes sobre a nossa realidade em prol de trabalhar para os nossos anseios.

            Sem uma boa educação financeira, dificilmente nós seremos capazes de conquistar a independência e a liberdade financeira. Ela, dessa forma, mostra a diferença entre consumir produtos passivos (que apenas gastam dinheiro) e produtos ativos (que rendem dinheiro), sobre como analisar nossa situação financeira real, viver de acordo com a realidade que nos toca e traçar estratégias e planos para melhorá-la a cada dia. É válido chamar a atenção, sobretudo para as mulheres, acerca da importância e do poder de transformação que tem o planejamento financeiro, corroborando para a maior autonomia e combate à submissão de gênero, pois sem um planejamento definido, é pouco provável que se alcance os objetivos almejados.

22 visualizações0 comentário