3 dicas imperdíveis para investidores iniciantes de FII

Daqui a cinco anos, você vai desejar ter começado hoje


Cada vez mais pessoas estão sendo atraídas pela renda variável. E você? Parado ainda, né? Pensa que eu não sei que você até agora não mexeu na poupança e está deixando o seu dinheiro para lá? Da mesma forma que você frequenta a academia para cuidar do corpo um pouquinho diariamente, por que você também não toma uma atitude para cuidar melhor do bolso e trazer mais saúde financeira para a sua vida?


Os fundos de investimentos imobiliários conquistaram muitos novatos nos investimentos por serem menos voláteis que as ações e de quebra ainda gerar rendimentos mensais aos investidores. Só em 2020, a quantidade de investidores da categoria aumentou 82%. Por que você não é ainda uma entre 1,2 milhão de investidores? O quê você está esperando? Não precisa começar em renda variável, é claro. Mas não queira deixar o tempo passar, pois ele é o principal aliado nos investimentos. Daqui a 5 anos, você vai desejar ter começado hoje! Sem dúvidas!


É muito impressionante o crescimento recente do mercado. E como tudo o que acontece repentino, ele também veio recheado de desordem ocasionado pelas promessas de ganhos fáceis e siglas confusas que podem custar muito caro aos mais desavisados. E, falando nisso, vamos ao propósito deste post. O primeiro ponto que você deve prestar atenção é #1 saber o que está comprando. Como você vai investir em algo sem saber do que se trata? Ou quais os riscos que estão envolvidos? Sem saber com qual operação você está colaborando? Da mesma forma que você não compraria um imóvel sem saber onde fica e qual a finalidade, você também não deveria fazer isso com os FIIs.


Tenha em mente que todo investimento guarda algum grau de risco. O que vai mudar de um para o outro é se ele é alto ou baixo. Portanto, é algo que você precisa ficar atento. Outro ponto, sem conhecer o que você está investindo, como você vai saber o que esperar daquele fundo? Como saber distinguir se está tudo bem ou se é hora de sair?


Perceba que isto tudo faz parte do aprendizado. Entenda o seu processo. Jamais se precipite. No âmbito do marketing digital, fala-se muito em constância, disciplina, repetição. Então, no mundo dos investimentos, funciona com a mesma lógica!


A dica #2 é escolher alguns indicadores para embasar os investimentos. Por quê? Para ter uma linha de comparação, um crivo, um critério para tomada de decisões. No caso dos FIIs, é bastante comum utilizar o Dividend Yield - DY e o preço sobre o valor patrimonial (P/VPA).


O DY mede a relação entre os dividendos, isto é, o lucro pago pelo fundo em relação ao preço da sua cota atual. Se o DY for 10%, então significa que ele paga 10% do valor da sua cotação atual em forma de dividendos. Assim, quanto maior for o DY, melhor.


Saiba que o DY é influenciado por fatores pontuais que fazem ele oscilar muito. Com isso, pode ser que quando você queira comprar e vá consultar o ranking dos melhores DY dos FIIs, algum esteja muito supervalorizado (ou subvalorizado) por ocorrências temporárias como venda de ativo, receita ou despesa não recorrente e etc.


Esses fatores provocam certa ilusão e fazem os investidores comprarem em um momento de alta, por exemplo, levados pela euforia de não perder a oportunidade. Assim, quando o preço da cota se ajustar outra vez, o cotista desavisado pode encarar prejuízos. Portanto, o DY sozinho é um indicador de oportunidades para ficar atenta, mas não deve ser utilizado sozinho.


Sobre o P/VPA, ele é uma razão que compara o valor de mercado que uma cota do fundo é vendida com o seu valor patrimonial. Ou seja, se ele estiver abaixo de 1, significa que está sendo negociado - em teoria - abaixo do que ele valeria. Se estiver acima, significa que está acima do que "deveria". Mas nem tudo que é barato é bom. Ele é um indicador de desconto que pode ser uma oportunidade ou resultado de uma má gestão, por exemplo. Por isso, olhar para este resultado sozinho também não é aconselhado.


Entenda que você precisa combinar indicadores para não se deixar levar pela informação de um só, que poderia conduzir a decisões equivocadas. O ideal é combinar pelo menos 2 ou mais indicadores para reduzir o risco de interpretações erradas.


E #3 varie os investimentos. Se você tem 4 investimentos e são todos FII de galpões logísticos, você não está diversificando. Capture as vantagens de um enquanto o outro não está tão bem. E isso você só vai conseguir se variar o tipo e o setor que aplica o seu dinheiro.


A melhor estratégia é aquela com a qual você não vai perder o seu sono. Tente não se deixar levar pela sedução das oportunidades de ganhos de curto prazo, se você não estiver disposto a estudar muito. Fazendo isto você já evita muitas frustrações. O seu investimento deve ser pensado sempre a favor dos seus objetivos e do seu perfil e nunca baseado no que os outros estão fazendo.

4 visualizações0 comentário